Saiba comprar seu carro



Quando a esmola é demais, convém desconfiar...

"Boa tarde, Gustavo. Estou querendo comprar um Peugeot 407 desde novembro do ano passado, o modelo 2.0, Allure, com bancos em couro. Na época era o modelo 2008, no site o preço era de R$ 97,5 mil, porém eu podia comprá-lo por R$ 82 mil em uma concessionária (aonde eles ainda me davam o couro, pois o Allure vem sem), enquanto as outras me vendiam por R$ 85 mil (sem o couro). Acabei deixando pra lá, pois ia esperar o 08/09.

Eis que chegou janeiro e fui ver de novo. O preço no site já havia caído para R$ 87,5 mil e, na mesma concessionária de antes, me vendiam o modelo novo por R$ 80 mil com o couro, enquanto as outras nem sequer possuíam o modelo 09. Estava rolando todo aquele auê devido ao IPI. Decidi esperar de novo.

Agora vou realmente comprar e cheguei a ver no site o preço de R$ 76,5 mil, porém agora o preço já voltou aos R$ 87,5 mil. Isso tudo no site da Peugeot. Consigo o carro por R$ 75 mil com couro, aqui onde eu moro, para pagamento em "cash", e em uma cidade próxima (Londrina) por R$ 74 mil.

As concessionárias não fazem parte da mesma rede, então na minha opinião prefiro pagar os R$ 75 mil e comprar na minha cidade. Londrina fica a 600 km daqui. Liguei em concessionárias de todo o Brasil e o melhor preço que consegui foi R$ 74 mil com o couro. Aqui em minha cidade o preço ainda pode ser negociável!

Queria saber o que eu faço. Se os 75 mil cobrados estão bons, se eu ainda consigo um preço mais em conta, se eu espero o 408 (quando este será lançado, afinal?)... O que que eu faço? Atualmente eu preciso de um sedã médio-grande, pois usamos três carros aqui em casa e agora só temos dois!

O carro vem com dois anos de garantia, podendo obter mais um ano por R$ 2.150. Essa contratação pode ser feita até 30 dias antes do término da garantia de dois anos, e o seguro pela Indiana (parceira da Peugeot) está em R$ 4.000 anuais para franquia de R$ 2.000 no caso de sinistro e em R$ 3.500 reais anuais com franquia de R$ 4.000 para o sinistro. Qual é a melhor opção?

Parabéns, pelas dicas e notícias. Li bastante antes de mandar o e-mail, tanto que fiquei sabendo do tal do 408 por meio do site!

Tudo de bom para o senhor.

Rafael Mohamed Hamudy
Foz do Iguaçu, PR


Como vai, Rafael, tudo certo?

Como você já viu o 408, vale a pena avisar ao restante do pessoal onde está a matéria. Basta clicar no nome do carro para ver. Vale também ver uma imagem que saiu no Coches and Motos, com todo o jeito de foto oficial.



Como você já viu, esse carro chega ao mercado ainda este ano, provavelmente em setembro, no Salão de Frankfurt, ainda que fosse esperado para estrear em Genebra. Seja este ano ou no começo do próximo, o caso é que o carro vai mudar. Quando o carro é nacional e está para mudar, eu já não recomendo a compra porque a desvalorização é alta. Quando é importado, então, nem se fala. Comprar um Peugeot 407, agora, é muito mal negócio, Rafael.

Se você quiser comprar o carro por gosto, e pretender ficar com ele por muito tempo, é bobagem eu falar a você que ele vai desvalorizar. Mais vale um gosto que dinheiro no bolso, como já diz o ditado. Mas, além da desvalorização, o 407 tem uma dianteira muito pronunciada, que raspa em qualquer lombada ou valeta. Não é, entre os sedãs médio-grandes, o que eu lhe indicaria.

Se você puder pensar nele, olhe o VW Passat com cuidado. Ele custa muito caro, mas é um dos melhores modelos deste segmento. Outro que merece atenção é o Honda Accord. O Ford Fusion novo, que vem sendo festejado nos EUA, também será lançado no Brasil ainda este ano. O problema é que você não pode esperar, o que dificulta as coisas.

Se for mesmo comprar o 407, das duas, uma: ou fique com ele por mais de três anos, para compensar, ou compre um usado.

Com relação aos preços, quando a esmola é demais, o santo desconfia. Descontos tão altos no 407 são um sinal de que ele é ruim de mercado, que não vende como deveria. Na sua mão, usado, ele será ainda mais difícil de vender por um preço justo do que na concessionária, que já abre mão de boa parte do preço só para tirá-lo do estoque.

Em relação ao seguro, o desconto de R$ 500 não compensa a franquia R$ 2.000 mais barata. Para compensar, você teria de renovar o seguro do carro por mais de quatro anos. Escolha a franquia reduzida, mesmo. Pode ser que você nunca tenha nenhum problema com ele (torço para isso), mas, se tiver, seu prejuízo será menor.

No mais, Rafael, pese bem a escolha. Na minha ordem de preferências, eu ficaria com o VW Passat. Não conseguindo, por causa do preço, pegaria um Honda Accord. Se pudesse esperar, um Ford Fusion novo, com a dianteira diferente. Se não tivesse como esperar, pegaria um destes carros usado. Dificilmente o 407, que pode até ser um excelente carro, mas desvaloriza uma barbaridade e é difícil de revender. Como o mercado é sábio, convém ouvi-lo.

Um abraço,

Gustavo

Dacia SUV, o H79, vai tomando forma para estrear ainda este ano

O blog de um grande amigo nosso, Marlos Ney Vidal, chamado Autos Segredos, já chegou arrebentando. Além de fotos da Fiat testando a Dodge Dakota, da Strada Cabine Dupla e outros, o blog trouxe informações bem legais sobre o Renault anti-EcoSport, por ora desenvolvido como Dacia SUV. Ele poderia se chamar Steppe, também, mas seu nome de desenvolvimento é H79. É o único sobre o qual, até agora, temos certeza. Também sabemos como será o utilitário, vejam abaixo:



Pelo desenho, nota-se que a lateral será igual à do Sandero, com os mesmos tipos de vinco. Os demais desenhos técnicos, que vazaram e foram expostos nos sites romenos Promotor.ro e DaciaClub.ro, além de no holandês DaciaLoganMCV.nl, confirmam os vincos. Não serão necessariamente as mesmas portas do Sandero, apenas um elemento de identificação com o restante da linha.



O site Promotor.ro até traz uma projeção, que não reproduzimos por ser de autoria de Andrei Avarvarii, talentoso designer que vive exatamente disso: do que ganha com quem quer exibir suas imagens em seus sites. Um dia teremos dinheiro para mostrar a vocês as criações deste cara. Por ora, vale visitar as imagens clicando no nome dele.

A projeção evidentemente não leva em conta os desenhos técnicos, daí omitir o vinco em meia-lua na lateral e a lanterna traseira ser reta, e não abaulada, com uma parte arredondada invadindo a tampa traseira do novo utilitário pequeno da Renault e da Dacia. Por questões de segurança, ele não terá estepe na tampa traseira. Ele poderá inclusive ficar sob o assoalho. Basta ver como a tampa traseira terá abertura bem em baixo, para facilitar a carga de objetos pesados.

Com capacidade para cinco ou sete passageiros, o H79 usaria a mesma base mecânica do Qashqai, modelo da Nissan que é cotado para ser feito no Brasil, ainda que, para entrar em um segmento de bastante volume, o Qarana pareça mais adequado.

O Dacia H79 deve ser apresentado em Frankfurt ou, se dermos sorte, primeiro por aqui no Brasil, como já aconteceu com o Sandero. Sonhar não custa nada...










Fonte: Promotor.ro, Promotor.ro, DaciaClub.ro e DaciaLoganMCV.nl via Autos Segredos

VAZOU! - Opel Zafira de nova geração faz sua primeira aparição na internet

A Opel Zafira usa a mesma plataforma do Astra com algumas pequenas modificações. Deve ser por isso que a minivan resolveu começar a aparecer tanto quanto o hatchback na internet. Eis aqui, portanto, a primeira imagem oficial da nova geração do monovolume.



Considerando que a plataforma é a mesma, podemos esperar também pelos mesmos motores, ou seja, motores a gasolina de 75 cv a 240 cv (para uma possível versão OPC) e propulsores a diesel de 90 cv a 150 cv.

A nova Zafira deve estrear em 2011, se a Opel conseguir sobreviver até lá. Esperamos que o Astra e o Insignia a ajudem a chegar lá. Com produtos tão bonitos, é o mínimo que a empresa merece.

Fonte: World Car Fans

VAZOU! - Veja novas imagens da próxima geração do Opel Astra

A Opel ainda pode ter a intenção de mostrar a nova geração do Astra no Salão de Frankfurt deste ano. Esperava-se que ela fizesse isso no Salão de Genebra, mas a estrela, por lá, acabou sendo um Volkswagen, a quinta geração do Polo. O fato é que o Astra já está ficando tão conhecido que a Opel perdeu a chance de fazer qualquer surpresa. E as imagens abaixo são as melhores que já conseguimos até agora, veja:



Como já dissemos, a Opel perdeu uma grande chance de atrair todos os olhares para seu estande na Suíça. Provavelmente ela achou melhor fazer isso na Alemanha, sua terra natal. Se ela conseguisse guardar segredo, talvez produzisse a surpresa desejada. Mas...

O novo Astra, nestas imagens, aparece nas versões de cinco portas, perua e OPC (o desenho vermelho), todas tão bonitas quanto o Insignia já pareceu. E ainda parece. Além dessas versões, espera-se também um conversível e a Zafira, além de um sedã, se o carro chegar a mercados emergentes, o que é pouco provável. Infelizmente o carro para estes mercados será o Cruze, que nem de longe é tão bonito.

O novo Astra deve utilizar os mesmos motores da versão atual européia, que vão de motores a gasolina de 75 cv a 240 cv (para o OPC) a propulsores a diesel de 90 cv a 150 cv. O VW Golf, que foi eleito o Carro Mundial do Ano, deveria começar a ficar preocupado...






Fonte: CarScoop

Kia revela o novo Cerato Koup no Salão de Nova York

Quando a Kia mostrou as primeiras imagens do novo Forte, vendido no Brasil como Cerato, sua aparência para lá de interessante provou que a contratação de Peter Schreyer como chefe de design pela Kia não havia sido em vão. Agora a empresa coreana apresenta seu primeiro cupê e, adivinha, ele é baseado exatamente no Cerato.



O novo cupê, que tem 4,48 m de comprimento, 1,77 m de largura e apenas 1,34 m de altura, com um entreeixos de 2,65 m, não renegará sua aparência esportiva.

Ele será vendido em dois níveis de acabamento. O de entrada é o EX. Além das rodas de aro 16" que vestem pneus 205/55 R16 tyres, o carro também terá um quatro-cilindros de 2 litros, 156 cv e 195 Nm comandado por uma caixa manual de cinco marchas ou uma automática de quatro.

O SX, claro, será muito mais interessante. Ele terá saída dupla de escape, mas não terá um V6 ou um V8 sob o capô, só um outro quatro-cilindros. Lógico que não será qualquer um. O 2,4-litros terá 173 cv e 228 Nm, o que, comparado ao motor 2-litros do Civic SI, com 192 cv, é pouco, mas deve ser divertido. As rodas do SX serão de aro 17", com pneus 215/45 R17. Opcionalmente, você pode equipar o carro com uma transmissão manual de seis marchas ou com uma automática de cinco. Tomara que ele chegue ao Brasil a um preço razoável. Se chegar...





Fonte: Kia

Mercedes-Benz divulga desenhos e fotos oficiais do interior do SLS AMG

Se os fãs de carros pudessem escolher um modelo clássico em roupagem moderna, muitos certamente escolheriam o Mercedes-Benz 300 SL, o Asa-de-gaivota. A marca alemã deve ter pensado nisso quando decidiu criar uma nova versão dessa maravilha mecânica, já batizada de SLS AMG. Muitas fotos de segredo foram feitas do modelo, disfarçado de Dodge Viper por um bom tempo. Também foram feitas projeções, umas mais próximas e outras mais distantes do modelo oficial, que você pode ver abaixo.



Ok, esse não é exatamente o modelo oficial, mas sim uma imagem estilizada dele. De todo modo, não se esqueça de olhar bem as imagens abaixo, do interior do veículo. Além de reais, elas mostram em detalhes o nível de refinamento que o veículo terá quando for lançado. Com certeza este modelo terá um sistema de refrigeração mais eficiente do que o original, que, dizem, esquenta um bocado no interior.

O SLS AMG será equipado com um V8 de 6,2 litros com compressor mecânico. No novo Asa-de-gaivota ele produzirá 571 cv e será montado atrás do eixo dianteiro. Em outras palavras, o SLS será um carro com motor central-dianteiro, com 48% do peso concentrado no eixo dianteiro e 52% no traseiro, que será o responsável pela tração do veículo. Considerando que ele pesa 1.620 kg, será o suficiente para um 0 a 100 km/h em 3,8 s e uma máxima de 315 km/h.

O novo carro de sonho da Mercedes-Benz será apresentado no Salão de Frankfurt e custará 150 mil euros. A maior parte das pessoas poderá achá-lo barato, considerando que ele pretende reviver uma lenda. E lendas, como se sabe, não têm preço.

















Fonte: World Car Fans

Jeep apresenta o modelo 2011 do Grand Cherokee no Salão de Nova York

É bem incomum um carro ser apresentado em um modelo dois anos adiante do ano de apresentação. Na verdade, antes do Jeep Grand Cherokee 2011, nós nunca havíamos visto. Ele foi apresentado no Salão de Nova York deste ano, aparentemente dois anos adiantado, mas há uma boa razão para isso.



A Chrysler está enfrentando tempos difíceis e precisa de todo o apoio que puder conquistar de consumidores e do governo. Especialmente do governo, de quem a Chrysler espera empréstimos a juros baixos para continuar operando. Para isso, tem de provar que ainda é capaz de desenvolver e vender produtos competitivos e atraentes, mesmo que há uma distância grande de começar a vendê-los efetivamente. É o caso do Grand Cherokee, que só deve chegar ao mercado em 2010. Se os consumidores se mostrarem receptivos ao utilitário, a empresa pode voltar a vendê-lo bem como antes e terá um caminho de volta à rentabilidade.

Méritos para isso o utilitário tem. Para começar, ele é inteiramente diferente do modelo atual. Tem 4,82 de comprimento, 1,94 m de largura, 1,76 m de altura e um entreeixos de 2,92 m. Terá cinco lugares, ainda que exista a chance de uma versão para sete passageiros ser apresentada no futuro. O porta-malas leva 1.030 l.

Ao contrário do que vem sendo dito, sua plataforma não é a mesma do Mercedes-Benz ML. Será, isso sim, a plataforma que a nova geração do ML usará. Moderna e mais rígida do que a usada pelo BMW X5, considerado uma referência nesse segmento, ela torna a carroceria 146% mais firme do que a do modelo atual. Esta melhoria impressionante se deu por meio de 5.400 pontos de solda adicionais.

Haverá duas opções de motores nos EUA: o já conhecido 5,7-litros V8 Hemi e o novíssimo 3,6-litros V6 Pentastar, ou Phoenix, motor que é considerado, nos EUA, muito mais eficiente que os atuais V6 da marca. Ele desenvolve 212 cv a 6.400 rpm e 353 Nm a 4.800 rpm. Isso com gasolina, já que ele é flexível em combustível e também pode usar E85, álcool com 15% de gasolina para partidas mais fáceis em tempo frio. A Chrysler não divulga a potência com etanol, mas, a considerar a taxa de compressão, de apenas 10,2:1, será surpresa se a potência se igualar à da gasolina. Aqui no Brasil, um bom motor flex não usa menos de 15:1.

Além da aparência aperfeiçoada e do espaço mais amplo, o Grand Cherokee também vem repleto de itens de luxo, como bancos elétricos para motorista e passageiro, direção eletricamente ajustável em altura e distância, com memória, entrada e partida do carro sem chave, todos os bancos e o volante aquecidos e os dianteiros ventilados, câmera traseira para manobras e madeira e couro no acabamento. Só para a segurança há 45 equipamentos.

Por fim, como todo Jeep deve ser capaz de cruzar a trilha Rubicon, o novo Grand Cherokee usa suspensão pneumática, chamada Quadra Lift, capaz de ajustar automaticamente sua altura às mais diferentes condições. Há cinco opções: Auto, que ajusta sozinha a suspensão, automaticamente, Sand/Mud, para areia e lama, Sport, para asfalto, Snow, para neve, e Rock, para terrenos pedregosos. De todo os terrenos que terá de enfrentar, o mais difícil será o financeiro. Boa sorte ao utilitário. Ele vai precisar de toda com que puder contar.
















Fonte: Chrysler